Time, energy and money. These should never be compromised.

IRS em 2018 – o que esperar

Conheça as alterações no regime fiscal em relação ao ano passado

Aproxima-se o final de mais um ano fiscal e é hora das famílias comunicarem os seus rendimentos ás finanças. Para isso devem olhar para o ano anterior em retrospectiva e, através da sua documentação, fazer o levantamento de todos os rendimentos, bem como despesas que possam ser deduzidas no IRS. Conheça todas as novidades que o IRS em 2018 lhe vai trazer.

Contabilizar os rendimentos do ano fiscal

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, os rendimentos auferidos durante o ano não são apenas os provenientes do seu emprego. Tudo o que tenha permitido obter uma mais valia, ao longo do ano, deve constar da sua declaração de IRS. Assim ficam englobados ganhos com investimentos por exemplo. Um investimento no mercado bolsista, que tenha envolvido a compra e venda de uma acção com uma mais valia, é considerado um rendimento que tem de ser tributado. Por outro lado a venda de património, por exemplo de um imóvel, está na mesma situação. Se vendeu um imóvel a um preço superior àquele que adquiriu, então incorreu numa mais valia e esta deve ser declarada para, posteriormente, poder ser tributada. Até mesmo ganhos com jogos são tributáveis. Hoje em dia poucas são as áreas que escapam à tributação. Uma das poucas que está nessa situação é o investimento em criptomoedas. Se comprar uma criptomoeda e a vender posteriormente por um valor superior, não haverá lugar ao pagamento de nenhum imposto, em sede de IRS em 2018. Esta área por ainda se tratar de um vazio na lei consegue escapar à tributação.

Despesas suportadas

Este ano, à semelhança do ano anterior, existem uma serie de despesas que são dedutíveis no IRS. Estas resultam de várias medidas implementadas pelo Estado com vista a combater a evasão fiscal. Assim, as despesas com restaurantes por exemplo, podem ser deduzidas e assim contribuir para uma baixa dos seus impostos. Não se esqueça que estas necessitam de estar validadas através do portal do Efactura. Não só os restaurantes se incluem nesta lista, existe um vasto leque de despesas que pode deduzir no IRS como as despesas relacionadas com a manutenção de automóveis, cuidados de beleza, entre outros. Para poder deduzir todas estas despesas lembre-se, ao longo do ano, de pedir para incluir o seu NIF nas facturas destes serviços. Até as compras de supermercado podem ser deduzidas através da rubrica “despesas com lar”. As rendas ou mensalidades de crédito à habitação são outro exemplo de despesas significativas que podem contribuir para a recuperação de uma parte do imposto anual a pagar.

Reembolso das despesas

Depois de comunicar ás finanças os seus rendimentos e despesas do ano fiscal, terá de ser apurado qual o imposto a pagar ou a receber. Se as deduções resultantes das suas despesas forem superiores ao imposto a pagar resultante dos seus rendimentos, então, nesse caso, irá receber dinheiro. Para que possa receber a transferência correctamente, necessita ter uma conta bancária e confirmar que o IBAN inscrito na sua declaração fiscal está correto. No passado recente as finanças davam a possibilidade de poder receber reembolsos em cheque que poderia levantar nos CTT, caso não possuísse conta bancária. No entanto, essa situação já não é possível, pelo que é obrigatório ter uma conta bancária associada ao seu perfil de contribuinte.

Por outro lado, se o imposto a pagar resultante dos seus rendimentos, for maior que o valor a receber resultantes das suas despesas, então haverá lugar ao pagamento de impostos. Para isso a autoridade tributária irá enviar-lhe os dados para sua casa, através de carta, para poder proceder ao seu pagamento. Tenha em atenção para não ultrapassar o prazo de pagamento para assim evitar o pagamento de juros de mora, que são elevados.

Conclusão

Este ano haverá poucas alterações em relação ao IRS do ano passado. A nível de despesas passiveis de deduções no IRS em 2018, o cenário é idêntico a 2017. Com respeito aos rendimentos estes serão tributados de acordo com um número ligeiramente maior de escalões, em relação à situação de 2017. Este maior número de escalões permite uma ligeira descida de impostos para pessoas dos escalões mais baixos mas uma subida de impostos para os contribuintes que, o ano passado, se encontravam num escalão superior. De qualquer forma, o desaparecimento da sobretaxa deve abater esta possível subida de escalão. Assim, pode afirmar-se que será esperado um ligeiro alivio fiscal em sede de IRS em 2018. Não se esqueça de entregar a sua declaração a tempo e horas e assim e evitar penalizações.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.