Time, energy and money. These should never be compromised.

Como proteger a habitação de incêndios

Evite os dramas de verão associados aos incêndios.

O ano passado ficou marcado, em Portugal, por um elevado número de vitimas resultante de incêndios florestais. Os fogos de Junho e Outubro de 2017 fizeram um número de vitimas mortais sem precedentes em Portugal. Como a época de tempo mais quente se aproxima é importante recordar alguns conselhos para minimizar as hipóteses de ver a sua propriedade destruída por via de um incêndio. Estes conselhos aplicam-se a quem detém habitações fora das grandes cidades, em locais com floresta perto. Vejamos as principais dicas para proteger a habitação de incêndios.

Limpar os terrenos

Um dos principais conselhos que muita gente não segue é a limpeza dos terrenos antes da época de verão. Esta limpeza pretende remover toda a vegetação rasteira que, com o tempo quente, seca e torna-se altamente inflamável. Esta vegetação costuma ser o combustível para os incêndios florestais. Sem ela um incêndio tem muita dificuldade em iniciar-se e também a alastrar-se. Por isso, mesmo depois dos incêndios do ano passado, o governo resolveu introduzir uma legislação que torna obrigatória esta limpeza. Os proprietários que não o fizerem incorrem numa multa que pode ir até vários milhares de euros. A GNR já começou, inclusivamente, a fiscalização no pais todo, para verificar se a legislação recentemente aprovada está a ser cumprida pelos proprietários.

Não fazer fogueiras nem queimadas

Muitos incêndios começam com pequenas fogueiras ou queimadas que ficam fora de controlo. O vento ou outras condições climatéricas podem fazer um fogo descontrolar-se e tornar-se num incêndio de grandes dimensões. Assim, não é aconselhado, durante o tempo quente (em que é mais fácil um incêndio propagar-se), fazer qualquer tipo de fogueiras ou queimadas. No verão tudo o que sejam zonas florestais estão bastante secas devido ao tempo quente e um pequeno descuido pode transformar-se num incêndio incontrolável.

Vigiar os terrenos

Outros aspecto importante para quem tenha propriedades extensas é o de manter uma vigilância apertada. Muitas vezes os incêndios são apenas detectados numa fase muito avançada, onde é muito mais difícil os bombeiros conseguirem controla-lo. Por outro lado, se detectar um incêndio numa fase inicial e alertar de imediato as autoridades, poderá evitar que este se propague e tome uma dimensão mais difícil de controlar. Assim, consegue proteger a habitação de incêndios de uma forma mais eficiente, mesmo que eles cheguem a começar. Assim, para proteger a habitação de incêndios, a vigilância constante são uma mais valia. Caso não tenha disponibilidade para tal, pode sempre optar por instalar uma solução tecnológica que detecte incêndios. Hoje em dia existem várias opções no mercado de dispositivos que ficam a funcionar 24h por dia em casa ou no exterior e que, em caso de algum incêndio começar a deflagrar, é emitido de imediato um alerta.

Comunicar actividades suspeitas

Sabe-se que uma parte significativa dos incêndios que deflagram no verão, em Portugal, são aquilo que se considera “fogo posto”. Ou seja, são incêndios provocados intencionalmente por alguém movido por interesses económicos ou mesmo distúrbios psicológicos. Assim, além dos cuidados já referidos neste artigo, deverá também estar atento a pessoas suspeitas que possam andar a circular nas redondezas. Caso detecte alguém não hesite em contactar as autoridades, de imediato, para que estas possam tomar conta da ocorrência. Apesar da legislação ser relativamente permissiva, nos últimos anos tem-se assistido a um maior controlo das autoridades e as penas para quem é condenado a este tipo de crime têm vindo a aumentar. Os governos sucessivos têm considerado um problema grave o facto de uma parte muito significativa dos maiores incêndios registados no verão serem devido a actos criminosos.

Conclusão

Historicamente Portugal costuma ser bastante afectado por incêndios na época de verão. Apesar de já ser habitual, o ano de 2017 tornou-se o pior ano de sempre a nível de vitimas mortais, devido a incêndios. Com o verão novamente à porta, importa recordar os principais conselhos para proteger a habitação de incêndios para quem possui propriedades perto de zonas florestais ou susceptíveis a ser afectadas por incêndios. O principal conselho vai para a limpeza dos terrenos para que a vegetação rasteira seca, não sirva de combustível para um possível incêndio. Por outro lado não deverá fazer qualquer tipo de fogueiras ou queimadas durante o verão, uma vez que, estas podem descontrolar-se com facilidade e provocar um incêndio de grandes dimensões. Por fim, deve sempre manter uma vigilância apertada aos seus terrenos. Esta é especialmente importante para detectar possíveis incêndios numa fase inicial, altura em que podem ser muito mais facilmente controlados pelos bombeiros. Por outro lado, uma vigilância apertada permite evitar também as situações de fogo posto que são bastante habituais em Portugal. Muitas vezes movidos por motivos económicos existem pessoas que provocam incêndios intencionalmente.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.