Time, energy and money. These should never be compromised.

Seguro de saúde vale a pena?

Certamente que já pensou, ou está a pensar, nas várias razões pelas quais deve ou não optar por subscrever um seguro de saúde. A principal pergunta que as pessoas tentam responder é: “Se temos o Serviço Nacional de Saúde, por que razões temos necessidade de subscrever um seguro de saúde?”. Será porque não temos de esperar em longas filas de espera? Será pelo acesso a inúmeras especialidades? Neste artigo iremos responder-lhe a todas as perguntas que possa ter relacionadas com este dilema.

Preciso realmente de um seguro de saúde?

A primeira parte do seu processo de decisão deve passar por analisar e estudar se precisa realmente de ter um seguro de saúde. Comece por analisar como funciona e as qualidades dos serviços de saúde pública da sua área de residência.

Para ajudar-lo a tornar ainda mais fácil esta análise, pondere pensar nas seguintes questões: “Qual o valor das taxas moderadoras?”, “O valor das taxas moderadoras é inferior ou superior ás franquias pagas nos seguros de saúde?” e “Posso perder um dia inteiro à espera de consulta num hospital público?”.

Como perceber se um seguro de saúde compensa?

Conseguir perceber se um seguro de saúde compensa não é fácil, e essa análise será sempre afetada pela imprevisibilidade do futuro.

Mesmo assim, é possível estimar-se o número de consultas e tratamentos analisando os anos anteriores. Depois de reunir essa informação, compare os custos de todas as consultas e tratamentos com o preço a pagar por um seguro de saúde. Se o preço do seguro de saúde for inferior, esta hipótese poderá compensar. Relembro que o futuro é imprevisível e que o número de consultas e tratamentos tanto pode aumentar como diminuir em relação aos anos anteriores.

A resposta à pergunta: “O seguro de saúde compensa” é sempre difícil de dar e varia sempre de pessoa para pessoa e de caso para caso. Para pessoas entre os 30 e 50 anos pode compensar fazer o seguro de saúde. Para pessoas com filhos e para grávidas também pode compensar ter um seguro de saúde.

Quais as vantagens associadas a um seguro de saúde?

Quem procura um seguro de saúde procura satisfazer um conjunto de necessidades. Podemos destacar algumas das vantagens:

  • Acesso ás mais variadas especialidades a preços mais baixos;
  • Evitar as longas filas de espera do Serviço Nacional de Saúde;
  • Segurança de saber que poderá a qualquer altura recorrer ao seu seguro de saúde;
  • Liberdade em poder escolher o local e o médico onde será tratado;
  • Comparticipação em medicamentos;
  • Consultas ao domicílio;
  • Cobertura em tratamentos no estrangeiro;
  • Acesso a descontos em parceiros na área da saúde.

Nota: Alguns destes benefícios podem não estar associados a todos os seguros de saúde, visto que há vários tipos de escalões e modalidades.

Como escolher o seguro de saúde mais indicado?

A oferta no mercado de seguros de saúde é imensa e, por isso, as pessoas devem analisar com cuidado para que possam escolher o seguro mais indicado para o seu caso. Alguns dos fatores que deve ter em conta na escolha do seu seguro de saúde são:

  • Prémio do seguro: O prémio do seguro é o custo que irá ter de pagar todos os anos, apesar de esse pagamento ser fraccionado em mensalidades. O valor do prémio do seguro varia de acordo com as coberturas, com a idade do segurado e com o seu estado de saúde.
  • Período de carência: O período de carência é o período em que o cliente está a pagar o serviço sem poder beneficiar das coberturas, algo que faz sentido. Se assim não o fosse, iríamos ver pessoas a contratar seguros de saúde nas vésperas de operações só para conseguirem ter o desconto e o apoio financeiro.
  • Franquias: A melhor forma de olhar para as franquias é pensar nelas como taxas moderadoras. Analise com cautela o seu contrato e as diversas modalidades e veja qual o valor da franquia que pretende obter. Existem seguros que não cobram franquias (seguros mais caros) e outros que cobram valores mais elevados (seguros mais baratos).
  • Comparticipação de medicamentos dentro e fora da rede: As seguradoras têm acordos com várias empresas na área da saúde e essas são as empresas que pertencem à rede. Nestes casos, a pessoa segurada paga apenas a franquia e a seguradora paga o restante valor. Nas empresas que estão fora da rede, as seguradoras pagam um valor mais baixo e o cliente fica responsável pelo restante valor.

Hoje em dia, ter um seguro de saúde pode fazer toda a diferença entre ter um bom tratamento ou, simplesmente, não o ter. Mesmo assim, o processo de escolha e subscrição de um seguro de saúde não é nada simples e envolve bastante variáveis e incertezas.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.