Como encontrar emprego

Esta é uma questão que muitas pessoas se colocam. Quer devido a ter saído de um trabalho recentemente, na situação de primeiro emprego ou mesmo quando pretende mudar de emprego. Em portugal a taxa de desemprego tem vindo a diminuir ligeiramente nos últimos anos, no entanto, ainda está a níveis altos quando comparado com outros países da união Europeia. Isto significa, grosso modo, que há mais pessoas a procurar emprego, do que empregos disponíveis. Assim é necessário ser perspicaz e inteligente na hora de pensar que estratégia vai adoptar nesta busca.

Como captar o interesse de uma empresa

Hoje a dia a chave está na imaginação e no ser diferente. Se enviar um CV, formato Europass e fizer tudo igual ás outras centenas de candidatos que estão a concorrer consigo, dificilmente se destacará. Uma boa estratégia é procurar inovar e ser diferente. Porque não enviar um CV com um formato diferente ou um design inovador? Imagine-se na pele de um recrutador. Se estiver a ver dezenas de CVs, todos iguais, e de repente aparecer um diferente, não tenha duvidas que o irá fazer parar, e ver o seu com mais atenção. Por outro lado, tente ser sucinto, ninguém tem disponibilidade para ler CVs extensos, cheios de texto e descrições aprofundadas. Aposte mais em imagens e pouco texto. Tenha também muita atenção aos erros ortográficos.

Entrevista de emprego

Se o seu CV foi inovador o suficiente ou teve algo que despertou o interesse do empregador, provavelmente será contactado para marcar uma entrevista. Normalmente as entrevistas são presenciais, apesar de que recentemente já se fazem algumas entrevistas via Skype (principalmente para empresas que se situem noutro pais).
De qualquer das formas deve preparar-se previamente, quer do ponto de vista técnico, quer do ponto de vista pessoal. Não deixe de estudar e rever alguns conceitos técnicos relevantes da sua área, bem como, tentar antecipar que perguntas poderão surgir. Estruture mentalmente os trabalhos universitários (caso este seja o seu primeiro emprego) de maior dimensão que fez, ou os seus últimos projectos (caso já não seja o primeiro emprego), de forma, a saber explica-los de forma clara e objectiva. Do ponto de vista pessoal, prepare-se também para as perguntas mais comuns que costumam surgir, como o que gosta de fazer nos tempos livres, quais as suas paixões e hobbies, etc. Tente sempre ser claro e responder directamente ás perguntas sem divagar nem fugir a estas. As empresas cada vez mais dão valor não só ás competências técnicas como ás competências individuais de cada pessoa. Hoje em dia cada vez mais se trabalha em equipa, pelo que as valências sociais assumem uma importância de grande relevância. Procure demonstrar que se costuma dar bem com todas as pessoas, e que não é uma pessoa difícil de lidar.

Comportamento pós entrevista

Após a entrevista provavelmente sentirá alguma insegurança. Será que gostaram de mim? Causei boa impressão? Tente descontrair, o que podia fazer já fez. Agora a decisão não depende de si. Não se deixe consumir por estas inseguranças. Espere pacientemente uma resposta ou, caso já tenha passado algum tempo, pergunte se lhe podem dar algum feedback da sua entrevista. Muitas empresas costumam transmitir feedback independentemente de o candidato ter sido aceite ou não. No entanto, nem sempre isso acontece. Tenha ainda em conta que, principalmente no caso de recém licenciados, existem muitas empresas que fazem entrevistas apenas para ficar com o perfil do candidato em base de dados, e poder recorrer a ele caso tenham algum projecto que necessite das suas competências. Ou seja, ao fazer a entrevista, nem sempre significa que existe efectivamente uma posição disponível naquele momento para o candidato. Principalmente em consultoras esta é uma prática comum.

Não apostar só numa

A menos que tenha como objectivo de vida ir trabalhar para uma empresa especifica, não deve apostar tudo apenas numa. Espalhe o seu CV por várias empresas que lhe agradam e nunca dê nenhum emprego garantido antes de assinado o contrato. Por vezes a entrevista até corre muito bem e o recrutador gosta muito de si e dá-lhe muitas esperanças, mas há vários entraves que podem surgir e que ponham em causa a sua entrada para a empresa. Assim não deve ficar comprometido com nenhuma empresa, antes de efectivamente assinar um contrato de trabalho. Desta forma vai plantando sementes em vários locais e até pode ser bastante proveitoso para si na situação em que mais que uma empresa queira ficar consigo. Neste caso fica numa posição fortalecida e em posição de negociar com ambas para concluir qual a que lhe pode conceder melhores condições. Inclusivamente pode dar a conhecer a situação ás empresas e assim fazê-las “lutar” por si, o que normalmente se traduz na apresentação de melhores condições.