Time, energy and money. These should never be compromised.

Investimento em Ouro

Riscos e rendimento potencial

As baixas taxas de juro oferecidas actualmente pelos produtos financeiros tradicionais tem levado investidores a procurar alternativas com nível de risco semelhante. Nem sempre isso é possível pois para obter taxas de juro mais elevadas, é quase sempre necessário incorrer em riscos maiores. O ouro não é excepção. Normalmente costuma caracterizar-se por ter alguma estabilidade e ser um activo de protecção em cenários de crises financeiras, mas, no entanto, não oferece qualquer garantia a nível de rentabilidade.

Riscos de investir em ouro

Historicamente o ouro tem atravessado largos de períodos de valorização constante o que leva à criação da convicção que “o ouro nunca desce”. Recomendamos cautela com este tipo de argumentos. O ouro na verdade desce e já teve períodos assim. Por exemplo durante o ano de 2013 assistiu-se a uma desvalorização massiva deste metal. A cotação desceu de cerca de $1400 para $900 durante esse ano. Assim o ouro não é mais, nem menos, seguro que qualquer outro activo nos mercados financeiros, como por exemplo a acção de uma empresa. Por vezes considera-se o ouro um activo seguro devido aos largos períodos na sua história em que valorizou bastante, mas este é um engano, como se referiu anteriormente. Não existe qualquer garantia de rentabilidade nem o seu capital é garantido.

Um aspecto, ainda assim, que é verdadeiro é que o ouro normalmente evolui em contra ciclo com a maior parte dos outros activos dos mercados financeiros. Daí a designação que frequentemente lhe é atribuída de “activo de refugio”. Esta termo surge uma vez que o ouro normalmente valoriza-se durante os períodos de queda generalizada dos mercados financeiros. A crise financeira de 2008 não foi excepção tendo o ouro registado uma subida colossal enquanto todos os outros activos, nomeadamente acções e obrigações caiam a pique.

Como investir em ouro

O investimento em ouro pode ser efectuado de duas formas principais. Uma delas é em ouro físico, adquirindo o mesmo junto de uma loja própria. Existem, hoje em dia, muitas lojas onde é possível comprar e vender ouro. O que recomendamos é que compare ao pormenor o valor oferecido por cada uma pois pode haver diferenças significativas. Além do valor, não se esqueça de verificar também a existência de comissões. Por vezes uma loja pode oferecer uma cotação melhor, mas depois cobra uma comissão que torna toda a transacção mais cara do que se fosse noutra loja.

Outra das formas de poder investir em ouro é adquirindo produtos financeiros que estejam ligados a este. Por exemplo acções de empresas que façam a sua extracção ou de empresas de joalharia. Alternativamente pode utilizar ainda ETF’s ou fundos de investimento expostos à variação da cotação do ouro. A vantagem desta segunda forma de investimento é não ter a necessidade de guardar o ouro de forma física. Este pode ser um problema maior do que parece. Devido ao seu valor não é nada recomendável que o guarde em casa. Assim teria de alugar um cofre num banco para o guardar, o que faz com que tivesse uma despesa extra e a rentabilidade do seu investimento iria sair afectada.

Conclusão

O investimento em ouro é uma boa forma de diversificar os seus investimentos. No entanto deve ter em atenção que é um investimento com riscos envolvidos e que não é comparável a um deposito a prazo nem certificados de aforro, como muitas vezes erradamente se compara. O segundo tem capital garantido e mesmo que a instituição bancária vá à falência, existe o mecanismo de protecção dos depositantes que tem capital para reembolsar os investidores. Por outro lado o investimento em ouro não tem capital garantido, pode perder parte ou a totalidade do seu investimento se apanhar um período de desvalorização deste metal. Assim para investidores conservadores, o investimento em ouro pode ser efectuado mas com alguma moderação, nomeadamente não alocando uma parte significativa das poupanças a este.

Sendo um activo a que os investidores frequentemente se referem como “activo de refugio” significa que costuma valorizar-se durante os períodos de crise. Assim, pode ser uma boa aposta adquiri-lo no inicio de um período assim e não durante uma fase de subida generalizada dos mercados financeiros. É preferível esperar por este momento oportuno para assim poder diminuir o risco do seu investimento.
Não deixe de comparar e estudar todas as diferentes formas de investir em ouro e decidir aquela que é melhor para si. Contabilize sempre todos os custos (referentes a comissões e impostos) que o seu investimento irá ter e compare entre as diversas opções com base nestes.

Deixe o seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.