Time, energy and money. These should never be compromised.

ETF como investimento a longo prazo

Os ETF são uma forma de investimento alternativa aos depósitos a prazo. Através de ETF o investidor tem acesso a uma bastante alargada quantidade de activos de países e bolsas mundiais. Actualmente esta é uma das formas mais económicas, no sentido de comissões e custos envolvidos nas transacções, de se expor a diversos investimentos nos mercados financeiros. Um ETF pretende seguir de uma forma precisa a cotação do activo que lhe está subjacente. Assim, este é um produto de gestão passiva e assim não possui os custos inerentes a uma gestão activa, como acontece num fundo de investimento. Os ETF normalmente são utilizados quando um investidor pretende investir dinheiro a longo prazo podendo no entanto também, em casos excepcionais, ser utilizados por investidores que pretendam uma exposição de mais curto prazo a um determinado mercado. Existe muita oferta de ETF no mercado europeu mas a sua maior diversidade é no mercado dos Estados Unidos da América. Assim a maior parte deles é cotada em dólares e não em euros. De qualquer forma, como se destina maioritariamente a investimentos de longo prazo o efeito da moeda e da diferença cambial é bastante dissolvido ao longo do tempo.

Quais os ETF que existem

Existem ETF sobre um variado conjunto de classes de activos. Por exemplo, ETF’s que seguem empresas de grande capitalização, que seguem empresas do sector de energia, ETF que seguem empresas do sector dos consumíveis entre outros. Existem também ETF sobre obrigações, moedas e outros sectores da economia.
Normalmente os ETF são utilizados para construir uma carteira diversificada, que cubra várias classes de activos e assim esteja adaptada a vários cenários económicos no longo prazo. Numa carteira conservadora costuma usar-se a proporção de 70%/30% sendo que os primeiros dizem respeito a investimentos em ETF’s relacionados com obrigações e os segundos relacionados com acções. Como historicamente as acções são mais voláteis que as obrigações não serão de esperar flutuações muito drásticas na cotação num curto espaço de tempo. Pode adaptar estas percentagens ás suas necessidades, sabendo que quanto maior a percentagem destinada a acções maior será o risco envolvido no seu investimento. Existem várias sugestões de portfólios publicadas na Internet que pode ver para o ajudar a formar a sua decisão.

Impostos envolvidos na subscrição de ETF

Todos os rendimentos obtidos no mercado de capitais estão sujeitos a impostos. Assim os ETFs não são excepção. A questão que deverá ter em conta é qual o país onde está sediado o ETF, uma vez que, será a taxa de imposto desse país que terá de pagar. Por isso não é de admirar que a maior parte destes produtos esteja sediada em países com taxas de impostos baixas como o Luxemburgo e a Irlanda. Apesar de poderem estar sediados nestes países, tem sempre de declarar o rendimento junto do Estado Português. A diferença é que não pagará a taxa portuguesa, mas sim a do pais de origem do rendimento. Por outro lado, apenas está sujeita a imposto, a eventual mais valia decorrente da diferença entre o preço de custo e preço de venda de todos os ETF que vendeu no ano fiscal anterior. Enquanto detiver um ETF e não o vender não haverá lugar à liquidação de qualquer imposto, uma vez que, ainda não foi apurada qualquer mais/menos valia. Tenha ainda em atenção que os custos com a compra/venda do ETF são abativeis no valor de imposto a pagar. Todas estas circunstancias referidas fazem com que este tipo de investimento seja bastante eficaz a nível fiscal.

Como comprar ETF

Estes produtos podem ser subscritos apenas em bancos de investimento. Normalmente não estão disponíveis nos bancos tradicionais. Regra geral existe uma comissão sempre que quiser subscrever um, bem como, quando pretender fazer o seu resgate. Existe ainda um custo anual de manutenção da carteira de títulos que deverá ter em conta. Compare sempre estes custos entre as diversas instituições bancárias para assim poder aceder ao melhor precário possível. Não deixe também de verificar os bancos online e de outros países e assim concluir acerca do que é mais vantajoso para si. Habitualmente as correctoras online terão melhores condições a este nível, no entanto terá de avaliar também qual a sua disponibilidade para colocar as suas poupanças numa instituição que não tenha balcões físicos.

Enriquecer com ETF

Este tipo de investimento não se destina a pessoas que procurem um retorno rápido e enriquecer depressa. Este é mais adequado a investidores que pretendem fazer um investimento de longo prazo onde se privilegia a conservação do capital investido. Encare este tipo de investimento como um plano poupança reforma. Esta não é portanto uma forma de especulação mas sim uma forma de constituir uma poupança a longo prazo. No entanto com o passar do tempo terá possibilidade de ver o seu investimento crescer e ao fim de alguns anos ficará surpreendido com o valor que detém. No entanto convém referir que este é um investimento de risco no qual é possível perder parte ou a totalidade do seu capital. Por isso mesmo nunca aloque todas as suas poupanças a um investimento deste tipo mas sim complemente com os tradicionais depósitos a prazo e certificados de aforro, por exemplo.

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.