Como obter financiamento de 100% no crédito habitação?

A compra de habitação representa uma grande responsabilidade e decisão para as famílias e, em quase todos os casos, a compra de habitação está diretamente relacionada com a aquisição de um crédito habitação.

Em Portugal, os bancos têm começado a aceitar e a conceber empréstimos com quantias cada vez maiores, quer em termos de montante emprestado ou em termos de avaliação do imóvel. Na maioria dos casos, os bancos emprestam até 80% do valor do imóvel, mas em algumas instituições já começam a subir um pouco mais a fasquia e a disponibilizarem até aos 85%.

Longe vão os tempos onde era possível obter um crédito que financiava até 110% ou mesmo 120% o valor do imóvel. É verdade que cada vez mais existe uma tendência para que seja exigida uma entrada inicial menor, mas continuará a ser necessário dar entradas entre os 15% e os 20%.

O que é o rácio financiamento/garantia?

No crédito habitação, o rácio financiamento/garantia relaciona o montante do empréstimo com o valor do imóvel hipotecado.

Normalmente, o valor da garantia é o menor entre o valor do crédito e o montante da avaliação do imóvel. Os bancos preferem sempre rácios inferiores a 100%, o que significa que o cliente terá de dar um valor como entrada inicial e que se mais para a frente entrar em incumprimento haverá sempre uma vontade maior de tentar solucionar o problema de forma a evitar perder esse dinheiro. Também assim, torna-se para o banco, em caso de incumprimento, mais fácil recuperar o investimento através da venda do imóvel.

Para um cliente que não tenha o montante necessário para dar como entrada inicial, deverá aguardar e juntar mais dinheiro. Lógico é que, quanto menor for a diferença entre o montante de financiamento e o valor do imóvel maior será o risco para o banco. E, assim sendo, é natural que as condições do crédito não sejam as melhores, podendo implicar valores de spreads mais elevados. Veja como pode fazer para conseguir spreads reduzidos.

Quais são as garantias que são habitualmente pedidas?

Quando se recorre a um crédito habitação, o banco tenta sempre obter o maior número de seguranças de forma a aumentar a probabilidade de ver o seu investimento recuperado. Para isso, pode exigir aos clientes que lhe sejam dadas garantias e, em quase todos os casos, o próprio imóvel é pedido como garantia para o crédito habitação. Mas, para além disto, pode pedir ainda a contratação de um seguro de vida e da prestação fiança.

O imóvel a hipotecar pode ser a habitação que será construída, adquirida ou alvo de obras financiadas pelo crédito habitação, incluindo o terreno.

Para reforçar ainda a probabilidade de ver o seu investimento recuperado, o banco pode pedir a subscrição de um seguro de vida que irá assegurar o pagamento da dívida, caso o cliente fique incapacitado ou venha a falecer. Claro está que o cliente pode decidir livremente que seguradora contratar para este fim.

Em último recurso e conforme o risco do crédito, o banco pode pedir ainda que seja apresentado um fiador. O fiador é alguém que se responsabiliza pelo pagamento do crédito.

Como obter financiamento a 100%?

Infelizmente, há cada vez mais famílias a perder a sua habitação. O desemprego e outras partidas da vida estão a colocar as famílias numa situação de aperto, impedindo-as de cumprir com o pagamento das prestações referentes ao seu crédito habitação. E em último caso, o imóvel é entregue ao banco.

A partir daí, os bancos disponibilizam as casas para venda com preços inferiores aos do mercado, com descontos que chegam a atingir os 50%. Para além disso, oferecem ainda um financiamento a 100% da avaliação e spreads reduzidos.

Apesar de tudo o que aqui foi dito, há uma regra que não se pode descartar no negócio bancário: tudo é negociável. É uma questão de falar com o número máximo de bancos e instituições de crédito até encontrar as condições e spreads mais atraentes.